Como o autoconhecimento te ajuda a encontrar a felicidade no trabalho

Entenda como praticar o autoconhecimento pessoal e profissional para encontrar a felicidade no trabalho.



O autoconhecimento está rompendo as barreiras das salas de terapias e chegando com tudo no mercado de trabalho. Os motivos para isso são quase incontáveis. Conhecer mais a nós mesmos oferece ganhos imensos em, por exemplo, nossos relacionamentos interpessoais, em nossa confiança, em nossa capacidade, na evolução pessoal e profissional, no nosso empoderamento, e, claro, na felicidade.


Mas tão variados quanto os seus benefícios, são as estratégias para encontrá-lo. Terapias convencionais, programas de imersões, coaches… se incluirmos os métodos alternativos então, poderíamos escrever um post inteiro apenas indicando as várias maneiras de iniciar esta busca.


Para facilitar a sua vida, no post de hoje vamos focar na conversão “autoconhecimento” e “felicidade no trabalho”. Como começar a busca pelo autoconhecimento de uma maneira prática, e como isso vai te ajudar a se tornar cada vez mais feliz e satisfeito com o que faz.




O que significa ser feliz no trabalho


Primeiro, antes de nos aprofundarmos no assunto autoconhecimento, é importante ter em mente que a felicidade é um estado volátil (e muito mais complexo que sua jornada de 8h de produtividade). “Ser feliz no trabalho” não significa acordar todos os dias alegre, ir caminhando até o banheiro como se estivesse em um jardim de flores, se arrumar cantando e viver apenas momentos de alegria ao longo do dia.


Mesmo quando fazemos o que a gente gosta, existirão algumas tarefas que não são as nossas favoritas, podemos lidar com pessoas que não são agradáveis, enfim. Ser feliz no trabalho é simplesmente conseguir fazer o que ama, ser remunerado por isso, e se sentir motivado para enfrentar os desafios desta atividade. Alguns serão gratificantes, outros não. Mas, de certa forma, você terá mais facilidade e força de vontade para passar por cima das adversidades, que naturalmente acontecem em qualquer mercado ou atividade.



Como buscar o autoconhecimento para encontrar felicidade no trabalho


Para os apressadinhos, aqui vai um ponto bem importante: a busca por autoconhecimento pode (e deve) levar tempo. Mas, felizmente, algumas estratégias podem tornar as coisas mais simples e diretas.


Por exemplo, os departamentos de RH do mundo inteiro já entenderam a importância de conhecer seus colaboradores mais afundo. E isso popularizou ferramentas que você nem sabia que estavam à disposição. Ao mesmo tempo, existem diversos profissionais que trabalham com o objetivo específico de te ajudar a encontrar o seu propósito de vida, e, por consequência, a felicidade.


Em seguida, vamos passar algumas dicas sobre como buscar conhecer melhor a si mesmo para então encontrar a felicidade no trabalho.


1 - Respeite suas crenças e procure profissionais qualificados


Nos próximos passos vamos falar sobre dicas super práticas que você pode realizar até mesmo sozinho. Mas, se conhecer melhor é um processo diário. Respeite suas crenças e o seu perfil para buscar alternativas que vão te deixar seguro quanto ao que está fazendo.


Não estamos dizendo que você deva buscar um psiquiatra, um guru, um coach, e seguir frequentando suas sessões o resto da vida. Mas sim, por alguns momentos, pode ser extremamente produtivo para se conhecer melhor. Principalmente se você incluir na sua busca os pontos que vamos falar a seguir.


2 - Tenha em mente que talvez você descubra algo que não quer


Seja em uma terapia, ou em um testes de perfil comportamental, você pode se deparar com uma característica sua que te incomode, que não seja tão simples assim de acreditar.

Neste sentido, tudo é uma questão de perspectiva. A verdade é que todos nós temos algo que gostaríamos que fosse diferente. Encarar isso de frente é a melhor maneira de mudar, de evoluir. Mas exige coragem e, como tudo na vida, é necessário dar o primeiro passo.


Muitas vezes encarar essa característica indesejada, ou mesmo a falta de uma de uma habilidade, incomoda justamente porque gostaríamos de tê-la, ou porque a vemos de outra maneira. O grande segredo é que quando esse confronto aparece em um feedback, se abre a oportunidade de nos analisarmos profundamente e até mesmo desenvolver este dom/skill se necessário.


Por exemplo, uma análise de perfil comportamental pode indicar que você tem uma tendência à se acomodar com sua situação, ou ter dificuldade de iniciar uma mudança. Para alguns, isso pode soar desconfortável. Mas se este for o caso, encarar o sentimento é o “empurrão” necessário para iniciar uma mudança positiva dentro de você.


3 - Entenda o seu perfil profissional


Para ser feliz no trabalho, é preciso primeiro descobrir o que a gente gosta. Se tem algo que não está legal onde você está trabalhando agora, a resposta pode estar no clima organizacional, mas também nas suas próprias características comportamentais.

Você já ouviu falar em competências comportamentais? Se não, deveria. Trata-se de um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que fazem com que você tenha mais facilidade para cumprir determinadas tarefas.


No ponto de vista dos recrutadores, elas já são consideradas tão ou até mais importantes do que as chamadas hard skills (faculdades, cursos, treinamentos, experiências profissionais, etc). Na visão do trabalhador ou empreendedor, reconhecer quais as nossas principais competências significa entender que tipo de atividade, setor, ambiente, cargo, temos mais facilidade de exercer, ser mais eficaz, produtivo e onde nos sentimos mais felizes.


4 - Avalie sua resiliência


Resiliência é a nossa capacidade de superar determinados desafios ou obstáculos sem ser afetado de maneira negativa. Admita você ou não, todos somos resilientes em certos aspectos, e todos temos certas dificuldades em outros.


Para uma pessoa, lidar com metas mais exigentes pode ser até mesmo estimulante. Ao mesmo tempo, para este mesmo indivíduo, agir sozinho sem o apoio de alguém pode ser um verdadeiro pesadelo.


Mas porque estamos falando isso? Porque a partir do momento que você entende quais desafios você consegue superar como se fosse um super herói, e quais você foge como se estivesse na frente de um super vilão, vai te ajudar a reavaliar sua situação no seu trabalho atual.


Quanto mais aspectos de resiliência você desenvolver, mais apto vai estar para absorver os desafios do dia a dia e ser uma referência de força dentro da empresa. Observando o cenário atual, fica claro e evidente que estamos precisando cada vez mais de pessoas assim. Escolha ser uma delas!


Que fique claro, não estamos falando de ser invencível. Estamos falando em desenvolver a sua autoconfiança, seu otimismo, sua capacidade de adaptação, seu controle emocional e outros aspectos que tornam as pessoas mais resilientes e com maior inteligência emocional. Mas, voltando ao início do tópico: para alcançar este nível, primeiro você precisa avaliar seu nível de resiliência atual.


5 - Use a tecnologia a seu favor


A gente já falou isso antes. E vale reforçar: a busca por autoconhecimento exige paciência e pode ser aplicada de inúmeras maneiras.

Mas, independentemente se você tem um psiquiatra, frequenta sessões de coach, imersões, ou até mesmo adora todas as formas de terapias holísticas, pode usar a tecnologia à seu favor na busca pelo autoconhecimento.


Você lembra que comentamos que os departamentos de RH das grandes empresas já se antenaram da importância do autoconhecimento? Pois então, caso você já tenha respondido algum questionário online em um processo seletivo, fique sabendo que aquele processo de 15 minutos garante um aumento de assertividade de 75% nas contratações destas empresas, pois oferece um panorama completo (quase inacreditável) das suas características pessoais, suas competências, seu momento motivacional e o seu perfil de resiliência. Você não achou que era só para bonito, não é?


Acontece que, agora, você pode se auto aplicar os mesmos testes que as maiores empresas do mundo utilizam em seus processos seletivos. Ter este tipo de conhecimento vale ouro para incrementar sua busca por autoconhecimento, e oferece insights profundos e práticos para que você entenda em que tipo de trabalho se encaixa melhor. Além disso, ajuda a ampliar sua compreensão quanto aos diferentes perfis comportamentais, o que contribui diretamente para uma melhora em suas relações interpessoais.



Dê o primeiro passo agora mesmo


Você está mais perto do que imagina de obter insights precisos sobre você, descobrindo as principais características do seu perfil comportamental e o que precisa desenvolver para ter um melhor desempenho na sua profissão, ou mesmo entender o que é necessário para se adaptar e buscar desafios em novas áreas.


Estes questionários que nos referimos anteriormente, que antes só estavam disponíveis em processos seletivos, agora estão ao alcance de você. A Groume, por exemplo, é uma empresa impulsionada pela Grou, que busca despertar o autoconhecimento para impulsionar a performance e felicidade das pessoas através das melhores ferramentas de avaliação de resiliência e de perfil comportamental do mundo.


Em 15 minutos, você responde um questionário e recebe um relatório completo do seu perfil. E ainda pode optar por receber uma devolutiva personalizada de um de nossos profissionais especializados para uma orientação ainda mais rica.


Ficou interessado?


Então acesse o site, conheça os produtos e incremente sua jornada em busca da alta performance e felicidade no trabalho :)





70 visualizações0 comentário