Soft skills e hard skills: quais são as principais diferenças?


Entenda o que são soft skills e hard skills e veja como desenvolvê-las de maneira muito mais estratégica e assertiva


O mercado de trabalho, a cada ano, sofre mudanças.





E, nos últimos tempos, uma tendência que tem se consolidado é a seguinte: a diferenciação entre soft skills e hard skills, assim como a priorização que cada empresa ou cargo exige em relação a cada uma delas.


Para compreender mais sobre este tema, no post de hoje vamos explicar mais os conceitos de soft e hard skills, assim como dicas práticas para desenvolver cada uma delas.

Soft skills e hard skills: entendendo as principais diferenças




A palavra "skills", traduzida do inglês, significa "habilidades". Assim, ambos os conceitos falam sobre as aptidões de uma pessoa. Na prática, esses termos são muito utilizados por recrutadores para especificar habilidades comportamentais (soft) e técnicas (hard) dos profissionais.

O que são as soft skills?


As soft skills são as habilidades comportamentais, sendo que a capacidade da pessoa em sentir, controlar e responder de forma assertiva às suas emoções é fundamental para o desenvolvimento dessas competências.

As soft skills são habilidades comportamentais do profissional.

Desta forma, estão relacionadas às suas habilidades mentais e a capacidade de lidar com emoções. Por isso, elas são mais difíceis de serem mensuradas e, muitas vezes, mais difíceis de serem ensinadas, já que podem estar mais ligadas à capacidade natural das pessoas e se tratar do resultado de tudo o que o indivíduo vivenciou em seu contexto de vida (social, profissional, dentre outros).

E, na prática, como as soft skills podem ser observadas? Por exemplo, durante o processo seletivo, essas competências podem ser observadas através de testes comportamentais, psicológico, dinâmicas com foco em alguma competência específica, dentre outras.

Dentre os tipos de soft skills mais apreciadas durante os processos seletivos, têm-se:

  • Comunicação assertiva;

  • Persuasão;

  • Liderança;

  • Confiança;

  • Criatividade;

  • Flexibilidade;

  • Organização;

  • Proatividade;

  • Resiliência;

  • Resolução de conflitos.

E as hard skills?

Já as hard skills são habilidades que podem ser aprendidas e facilmente quantificadas, ou seja, são as habilidades técnicas.

Em outras palavras, são habilidades mais tangíveis. Por exemplo, é possível aprender as hard skills na sala de aula, com livros e apostilas, em cursos livres, em cursos online ou, até mesmo, no trabalho.

Devido a essa característica, elas são facilmente identificáveis através da apresentação de um diploma, de um certificado, de um teste prático, dentre outros.

Assim, durante o processo seletivo, elas são avaliadas e comparadas com as dos outros candidatos. Alguns exemplos:

  • Graduação;

  • Cursos técnicos e/ou livres;

  • Pós-graduação;

  • Conhecimento prático em determinado processo;

  • Habilidades ligadas à tecnologia (como, por exemplo, domínio avançado de Excel).

Como desenvolver cada uma destas habilidades?

Desenvolver as hard skills, seja por conta própria ou dentro de uma organização, não é uma tarefa muito complicada.

Por exemplo, no caso de uma pessoa que esteja interessada neste desenvolvimento, é preciso entender, em primeiro lugar, quais são os seus objetivos de carreira.

A partir disso, é possível criar um plano para se aperfeiçoar tecnicamente para atingir tais pontos. De que forma?

  • Fazendo uma graduação;

  • Procurando uma especialização;

  • Escolhendo treinamentos;

  • Fazendo certificações;

  • Lendo livros;

  • Aperfeiçoando-se.

E as soft skills? Em uma matéria da Folha Dirigida, um dos especialistas entrevistados destacou que é possível sim desenvolver as soft skills. Por exemplo, alguém que não se considera muito criativo ou que não tem muita desenvoltura para falar em público, pode sim desenvolver tal habilidade. Ou seja, apesar de algumas pessoas terem essa habilidade de “nascença”, é possível que uma pessoa as desenvolva através de um plano mais assertivo.

Porém, é importante entender que para desenvolver as soft skills, no geral, a pessoa irá precisar ter um acompanhamento um pouco mais de perto, pois requer uma autoanálise e um autodesenvolvimento que, sozinho, é muito mais complicado a evolução. Mais a seguir abordaremos como a tecnologia pode ser uma grande aliada nesta descoberta e criação de um plano bem assertivo.

Além disso, cada vez mais as empresas estão em busca de soft skills nos potenciais candidatos e membros do seu time.

E por que as soft skills estão se tornando cada vez mais importantes?

É notório que, a cada ano, as empresas têm focado mais em habilidades comportamentais dos seus colaboradores. Mas por que esta mudança?

Com a evolução do sistema produtivo, cada vez mais as máquinas têm adquirido funcionalidades e têm substituído parte da mão de obra. Porém, o que as máquinas ainda não conseguem substituir são essas habilidades comportamentais.

Por exemplo, durante décadas foi valorizado na carreira de Engenharia a capacidade de fazer cálculos complexos. Atualmente, muitos softwares podem realizar parte destes cálculos.

Mas, cuidado: isso não significa que o engenheiro não precisa ter esta hard skill. A diferença é que agora a sua capacidade de liderança e de comunicação também se tornam igualmente relevantes no atual mercado de trabalho.

Assim, não basta que o engenheiro seja competente tecnicamente: se ele não tiver determinadas habilidades comportamentais necessárias para a sua função, certamente ele se tornará menos atrativo para as organizações.


Desenvolvendo as soft skills: a importância de investir no autoconhecimento

Como explicamos anteriormente, uma forma assertiva de começar a desenvolver suas soft skills é investindo em seu autoconhecimento.

Por exemplo, você sabia que é possível mapear suas soft skills com com o auxílio da tecnologia?

Sim, é possível entender o próprio perfil comportamental, em um passo a passo bem estratégico:

  • Com o auxílio de um software de análise de perfil comportamental, você consegue mapear as suas habilidades;

  • Com isso, você irá descobrir as suas principais soft skills;

  • A partir daí, você poderá definir quais soft skills são mais importantes para alcançar os objetivos profissionais;

  • E, assim, desenvolvê-las de maneira muito mais eficiente.

Quer entender como começar essa autodescoberta?

A Groume é uma empresa impulsionada pela Grou, que busca despertar o autoconhecimento para potencializar a performance e felicidade das pessoas através das melhores ferramentas de avaliação de resiliência e de perfil comportamental do mundo, facilitando a mudança de vida e transição de carreira.

Desta forma, em apenas 15 minutos é possível responder um questionário e receber um relatório completo do seu perfil. Você ainda tem a opção de receber uma devolutiva personalizada de um de nossos profissionais especializados para uma orientação ainda mais completa.

Ficou interessado ou interessada? Então, acesse o site, conheça os nossos produtos e incremente sua jornada em busca de autoconhecimento, transição de carreira, alta performance e felicidade no trabalho :)


6 visualizações0 comentário